2 de abr de 2009

Inconstâncias...


Sobrevivo a inconstantes causas, desejos e mentes. Não aprendi ainda a lhe dá com todas elas, por isso meu coração torna-se pequeno e impotente. Vago por entre as palavras ditas, teorias e idéias que me escapam pelos dedos... Ainda persiste em mim um desejo insolúvel pela compreensão. Entender: eis a questão! É uma sede insaciável e assim levo minha mente inquieta às confusões e descobertas.

Um comentário:

  1. De tirar o folego...

    Eis a engrenagem da vida, da morte, do conhecido e do desconhecido.

    Simplesmente maravilhoso!

    ResponderExcluir